Notícias

barra logos

Photo Photo Photo Photo

Dia Internacional da Mulher 2018: A autonomia das mulheres é importante para o futuro da Europa.

picture

A Comissão assinala o Dia Internacional da Mulher com a publicação do seu relatório de 2018 sobre a igualdade entre homens e mulheres, bem como com a apresentação de um relatório sobre as mulheres e as tecnologias. Contudo, ainda temos pela frente um longo caminho a percorrer. 

A Comissão adotou medidas para suscitar a mudança. Apresentou uma proposta que visa melhorar o equilíbrio entre a vida profissional e a vida familiar das famílias que trabalham, um Plano de Ação para combater as disparidades salariais entre homens e mulheres e apelou a que seja posto termo à violência contra as mulheres através de ações de financiamento e de sensibilização.

O relatório de 2018 sobre a igualdade entre homens e mulheres revela que, nalguns domínios, os progressos estagnaram: as mulheres continuam a assumir a maior parte das responsabilidades familiares, as disparidades salariais entre homens e mulheres estagnaram nos 16 % durante vários anos e a violência contra as mulheres continua a ser um problema.

Frans Timmermans, Primeiro Vice-Presidente afirmou hoje : «A questão da igualdade de género está no topo da agenda, mas os progressos no terreno continuam a ser lentos. Para conseguirmos uma verdadeira mudança na situação das mulheres, temos de transformar a tomada de consciência e as intenções em ações concretas. Tal passa pela adoção da nova legislação que a Comissão propôs em matéria de equilíbrio entre vida profissional e vida familiar, pela adesão à Convenção de Istambul e pela implementação das políticas que já acordámos em matéria de luta contra as disparidades salariais entre homens e mulheres e contra violência de que são vítimas as mulheres».

Věra Jourová, Comissária Europeia responsável pela Justiça, Consumidores e Igualdade de Género, acrescentou: «A igualdade de género não diz respeito unicamente às mulheres. É uma questão que diz respeito à nossa sociedade, à nossa economia e à nossa demografia. Queremos garantir que as mulheres sejam verdadeiramente iguais aos homens perante a lei. Prosseguiremos os nossos esforços para promover a autonomia das mulheres, para que estas possam fazer as suas próprias escolhas no que respeita às suas carreiras profissionais e às suas famílias.»

Mariya Gabriel, Comissária responsável pela Economia e Sociedade Digitais, afirmou: «O futuro da Europa será digital e cabe-nos a nós torná-lo inclusivo. As mulheres e as raparigas não podem ser excluídas da transformação digital da nossa economia e da nossa sociedade. O nosso programa intitulado «As mulheres e o digital» terá por objetivo capacitar, promover a autonomia, incentivar e motivar as mulheres e as raparigas a colmatarem o fosso digital que as separa dos homens.»

O relatório revela igualmente que as mulheres continuam a enfrentar desafios em vários domínios:a

  • Embora tenham um nível de instrução superior ao dos homens (em 2016, 44 % das mulheres - contra 34 % dos homens - com idade compreendida entre os 30 e os 34 anos tinham um diploma universitário), as mulheres continuam a estar fortemente sub-representadas em cargos de chefia nas empresas e continuam a ganhar, em média, 16 % menos do que os homens em toda a UE.
  • Na política, as mulheres estão igualmente sub-representadas. Em seis países (Grécia, Croácia, Chipre, Letónia, Hungria e Malta), as mulheres representam menos de 20 % dos deputados.
  • Nos últimos anos, as disparidades salariais entre homens e mulheres estagnaram em cerca de 11 pontos percentuais. Não se registou uma recuperação digna de nota entre os Estados-Membros que obtiveram os melhores resultados e aqueles que obtiveram os piores resultados.
  • Em média, 44 % dos europeus consideram que as mulheres devem cuidar da casa e da família. Num terço dos Estados-Membros da UE, esta percentagem atinge mesmo os 70 %.
  • A violência continua a ser demasiado generalizada: Na Europa, uma em cada três mulheres já foi vítima de violência física e/ou sexual após os 15 anos de idade. De igual modo, 55 % das mulheres na UE já foram vítimas de assédio sexual.

A autonomia das mulheres na era digital

O setor das tecnologias irá criar 500 000 novos postos de trabalho até 2020. Infelizmente, as mulheres europeias correm o risco de passar ao lado destas oportunidades, em detrimento da economia europeia. A participação das mulheres nos setores digital e das TIC não melhorou muito nos últimos anos. A Comissão publicou hoje um novo estudo sobre as mulheres na era digital que revela que o aumento do número de mulheres no setor digital poderia resultar num aumento anual do PIB de 16 mil milhões de euros na UE. No entanto, só 24,9 % das mulheres que frequentam o ensino superior obtêm um diploma em domínios relacionados com tecnologias. No que diz respeito ao empreendedorismo no setor das tecnologias, as empresas em fase de arranque detidas por mulheres têm mais probabilidades de êxito, mas apenas 14,8 % dos fundadores de empresas em fase de arranque são mulheres, revelou o estudo.

Para aumentar a participação das mulheres no setor digital, a Comissária Mariya Gabriel apresentou hoje nas suas grandes linhas planos destinados a promover modelos de comportamento no setor das tecnologias da informação, combater os estereótipos, promover o ensino e as competências digitais e defender o aumento do número de mulheres empresárias. A iniciativa em prol das mulheres no setor digital desenrolar-se-á ao longo de 2018 e 2019.

Contexto

A igualdade entre homens e mulheres constitui um valor fundamental da União Europeia, que está consagrado no Tratado desde as origens da construção europeia, uma vez que o Tratado de Roma incluía uma disposição sobre a igualdade salarial.

O trabalho da Comissão em matéria de política de igualdade entre homens e mulheres tem por base o «Compromisso estratégico para a igualdade de género 2016-2019», que se centra em cinco domínios prioritários:

  • aumentar a participação das mulheres no mercado laboral e a igualdade entre os géneros em termos de independência económica;
  • reduzir as disparidades de género nas remunerações, rendimentos e pensões e, assim, combater a pobreza entre as mulheres;
  • promover a igualdade entre homens e mulheres no processo de tomada de decisões;
  • combater a violência de género e defender e apoiar as vítimas; e
  • promover a igualdade de género e os direitos das mulheres em todo o mundo.

Para mais informações, consultar:

Relatório de 2018 sobre a igualdade entre homens e mulheres

Estudo «As mulheres na era digital»

Iniciativa para aumentar a participação das mulheres no setor digital

Instituto Europeu para a Igualdade de Género – Comunicado de imprensa: «As mulheres e as tecnologias»

O colóquio anual sobre os direitos fundamentais consagrado aos direitos das mulheres neste período conturbado abordou a problemática da violência e do assédio contra as mulheres, bem como as desigualdades económicas e políticas entre mulheres e homens, em especial as disparidades salariais entre homens e mulheres e a conciliação da vida profissional e familiar.

O lançamento da Iniciativa Spotlight pela Comissão Europeia e as Nações Unidas aborda o problema da violência fundada no género a nível mundial.

Índice de Igualdade de Género 2017

Vídeo de sensibilização para o problema da violência contra as mulheres

Comissão prevê oportunidades de viagem com valor educativo e cultural para jovens

ThinkstockPhotos-482720044 1

A Comissão Europeia deu hoje os primeiros passos para aplicar a proposta do Parlamento Europeu de um «Passe Interrail gratuito para europeus que façam 18 anos», ao adotar uma decisão de financiamento. Com um orçamento de 12 milhões de euros em 2018, prevê-se que esta ação possibilite a 20 000 – 30 000 jovens uma experiência de viajem que ajude a reforçar a identidade europeia, os valores europeus comuns e a promover a descoberta de locais e culturas na Europa. Esta proposta enquadra-se na ambição da UE de promover a mobilidade para fins de aprendizagem, cidadania ativa, inclusão social e solidariedade de todos os jovens. A iniciativa procurará oferecer aos jovens, independentemente das suas origens sociais ou educativas, incluindo pessoas com mobilidade reduzida, uma oportunidade de viajar para o estrangeiro. Prevê-se que os primeiros jovens viajem já este verão.

"Volta de Apoio ao Emprego" está de regresso em 2018!

 

M Canavezes VAE-2018A sexta edição da Volta do Apoio ao Emprego em Portugal vai começar já em março. 

Ao longo do ano, serão organizadas sessões de informação em vários pontos do continente e ilhas para divulgar as oportunidades concretas de emprego e de apoio à empregabilidade no âmbito da União Europeia.

Nas sessões da Volta de Apoio ao Emprego serão apresentadas soluções para melhorar a empregabilidade através de formação profissional, estágios ou experiência internacional de voluntariado, sugestões para aumentar a probabilidade de sucesso de uma candidatura e formas de aceder a mais de dois milhões de empregos disponíveis a nível europeu através do Portal Europeu da Mobilidade Profissional - EURES.

Já estão programadas mais de 20 sessões, como por exemplo, em Marco de Canavezes, Albufeira e Coimbra.

As sessões contam com a participação de várias entidades e agências responsáveis pela implementação de iniciativas e programas europeus como o Erasmus+, a Garantia Jovem ou o Europass, bem como de universidades locais e associações empresariais.

A Volta de Apoio ao Emprego é uma iniciativa da Representação da Comissão Europeia em Portugal, organizada através da rede de Centros de Informação Europe Direct, em parceria com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) no âmbito da Rede Europeia de Emprego EURES.

Na edição de 2017, os Centros Europe Direct organizaram 28 sessões da Volta de Apoio ao Emprego em todo o país, que contaram com um total de 2743 participantes, o que demonstra o interesse e importância desta iniciativa para divulgar as oportunidades de emprego, formação e qualificação profissional proporcionadas pela União Europeia.

Sessões e calendário da Volta de Apoio ao Emprego 2018: http://www.vae.pt/

Centros Europe Direct: https://ec.europa.eu/portugal/services/contact-points_pt

Rede de Emprego Europeia EURES: https://ec.europa.eu/eures/public/pt/homepage

Comissão Europeia – Representação em Portugal

 

"Elevator Pitch - IdeiasQueMarcam" 2018

Bolsa Emp-Elevator Pitch-FB-08

A Representação da Comissão Europeia em Portugal abriu as candidaturas para o concurso de empreendedorismo "Elevator Pitch - IdeiasQueMarcam" 2018 para continuar a apoiar os empreendedores, capacitando e encorajando todos aqueles que querem desenvolver os seus projetos e ideias de negócio.
Este ano, o concurso privilegiará projetos de empreendedorismo de base tecnológica e digital. De entre estes, dará especial relevo a projetos que - de alguma forma - proponham soluções e inovações que contribuam para reforçar a capacitação cívica e a participação ativa dos cidadãos na vida democrática.
Os Seedcamps a realizar entre 6 e 16 de março pretendem ajudar os potenciais candidatos a preparar as candidaturas e dar-lhes acesso a ferramentas de prototipagem de negócio.
Os Seedcamps são ações de divulgação realizadas junto dos parceiros e entidades da Representação da Comissão Europeia em Portugal, em concreto a rede de Centros de Informação Europe Direct e as entidades parceiras do concurso. Durante os Seedcamps será apresentado o concurso e será organizado um workshop de business model que ajudará os potenciais candidatos a preparar as candidaturas e lhes dará acesso a ferramentas de prototipagem de negócio.

 

Data: 8 de março de 2018

Local: Instituto Empresarial do Tâmega, Amarante
Inscrição: www.bolsadoempreendedorismo.pt/eventos

 

Saiba mais em: http://www.bolsadoempreendedorismo.pt/

 

Comissão Europeia lança Prémio de Jornalismo Lorenzo Natali para jornalismo em matéria de desenvolvimento

DVwaxwMXcAAKZYz

Estão abertas até 9 de março de 2018 as candidaturas ao Prémio de Jornalismo Lorenzo Natali 2018, lançado pela Comissão Europeia e que reconhece jornalistas pelo seu trabalho de excelência em matéria de desenvolvimento. Os trabalhos podem ser em formato online, impresso ou audiovisual.

Como concorrer: os jornalistas são convidados a apresentar o seu trabalho, difundido em papel, formato digital, radiofónico ou televisivo. Informações pormenorizadas sobre as regras específicas e os critérios podem ser consultadas online.

Categorias do Prémio: o prémio tem duas categorias com base em grupos etários: dos 21 aos 26 anos, e mais de 27 anos. Para cada categoria, haverá um vencedor de cada região: Europa, África; Mundo Árabe e Médio Oriente; Ásia e Pacífico; América Latina e Caraíbas.

Um «Grande Vencedor» será selecionado de entre os vencedores regionais e será atribuído mais um prémio para trabalho no domínio da eliminação da violência contra mulheres e meninas.

A seleção será efetuada por um «Grande Júri», constituído por jornalistas de renome de todo o mundo. Os membros do júri deste ano incluem nomes como os de Bruce Shapiro, Isabel Recavarren, Mahendra Ved, Mary Harper, bem como Dagmar Schumacher da «ONU Mulheres».

Os vencedores receberão os seus prémios numa cerimónia durante as Jornadas Europeias do Desenvolvimento de 2018 que decorrem em Bruxelas em junho.

Conheça a europa

A Europa Vai À Escola

Inscreva-se aqui

48c72ee3-7c29-4e0d-9226-d9df0360f9c7.jpg 


 Espaço de Aprendizagem - Learning Corner

Recursos online sobre a União Europeia 

Capturar1.jpg


 Ursula von der Leyden

Presidente Eleita da Comissão Europeia

O meu programa para a Europa

 66881562_10157231337404280_1585032619454627840_n.jpg    


 bola.png  


  HORÁRIO

Segunda a Sexta
9h00 - 12h30

  13h30 - 17h30 


CONTACTOS

Av. Dr. Nicolau Carneiro, 196

4590-512 Paços de Ferreira

T. +351 255 147 314

     +351 916 096 155 

Email: europedirect[a]profisousa.pt

Facebook

Instagram 

Twitter


 

Se já contactou um Centro Europe Direct, p.f. avalie aqui  a sua atuação.