Notícias
Photo Photo Photo Photo

Europa para os Cidadãos

mapaeu

No seguimento das mensagens anteriores e com a aproximação da data limite para o envio das candidaturas, o CIEJD enquanto Ponto Contacto Nacional para o Programa “Europa para os Cidadãos” (EpC), envia de mais um conjunto de novos promotores que estão interessados em estabelecer parcerias nacionais para apresentação de candidaturas, vide quadro abaixo, no âmbito do Convite à apresentação de propostas – EACEA 40/2017: Programa «Europa para os Cidadãos» – subvenções de ações para 2018.

O presente convite abrange as seguintes vertentes e medidas do Programa «Europa para os Cidadãos»:

Vertente 1: Memória europeia

Vertente 2: Compromisso democrático e participação cívica

- Geminação de cidades

- Redes de cidades

- Projetos da Sociedade civil

A candidatura está aberta até 1 de março de 2018, 12h hora de Bruxelas.

Lista completa de oferta disponível em:

4   Pedidos de parceria (Candidatura 1 de março de 2018)

 

 

Ponto Nacional de Contacto para o Programa “Europa para os Cidadãos”


Centro de Informação Europeia Jacques Delors
DGAE / Ministério dos Negócios Estrangeiros
Palácio da Cova da Moura | Rua da Cova da Moura, 1 | 1350-115 Lisboa
tel.: +351 211 225 031 | fax: +351 211 225 049
e-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. | Internet: www.eurocid.pt

País

Entidade

Contacto

Descrição

Vertente

Bulgária

Dobrich 2017

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

+359898583475

O projeto 'Rock Rebels - Cold War Politics' pretende estudar o impacto que a música rock e a cultura tiveram nos países pós-comunistas durante a Guerra Fria. Este projeto investigará a cultura underground e o significado que a música rock teve como símbolo da desobediência civil contra o regime totalitário.

 

Formulário de identificação do projeto

Vertente 1: Memória Europeia

Roménia

TOTEM

www.asociatiatotem.eu

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

+40729881469; +40.729.881.469

O projeto visa criar uma plataforma virtual com artigos periódicos em quatro idiomas diferentes (alemão, francês, inglês e romeno), espaços abertos para debates de políticas da UE, questões sociais e culturais, debates sobre o futuro da UE. Duas vezes por ano, o as organizações que lideram o projeto farão um seminário em um país UE durante os debates da plataforma.

 

Formulário de identificação do projeto

Vertente 2:

- Projetos da Sociedade civil

República Checa

Forum 2000 Foundation

www.forum2000.cz

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

+420 224 310 991

O objetivo geral do programa é desenvolver uma tradição anual de reuniões, que permitirá que participantes de diversas origens e crenças se envolvam ativamente em questões europeias.

 

Formulário de identificação do projeto

Vertente 2:

- Projetos da Sociedade civil

Espanha

Cerdedo-Cotobade city council

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

O projeto visa contribuir para melhorar a compreensão da União, sua história e sua diversidade por parte dos cidadãos, especificamente no campo da produção e consumo de alimentos sustentáveis, locais e de proximidade.

 

Formulário de identificação do projeto

Vertente 2:

- Redes de Cidades

Eslováquia

Civic Association “MODERNÝ SLIAČ”

https://www.facebook.com/ModernySliac/

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

+421 948 010366

O objetivo do projeto é lembrar os cidadãos da antiga Checoslováquia, os húngaros, os polacos, os alemães e todos os europeus os acontecimentos históricos da década de 1950, quando, por mais de duas décadas, os checos e os eslovacos perderam uma parte substancial da sua soberania política e libertar-se de jure após a revolução em novembro de 1989, após a queda da cortina de ferro, mas de fato após a partida do exército soviético

 

Formulário de identificação do projeto

 

Vertente 1: Memória Europeia

Eslováquia

Comenius University in Bratislava, Faculty of Arts

www.uniba.sk

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

+421 902 570 492

+421 2 59339 134

O projeto centra-se nas questões de memória coletiva relativas à Primavera de Praga e ao ano de 1968 em diferentes partes da UE. Seu principal objetivo é atravessar os limites nacionais / estaduais na percepção do passado europeu recente, mostrar os acontecimentos em uma perspectiva europeia mais ampla, bem como apelar para a lembrança do ano de 1968 como parte do patrimônio comum de civil sociedade na Europa.

 

Formulário de identificação do projeto

 

Vertente 1: Memória Europeia

Prémios Europeus de Promoção Empresarial

untitled - copy 0

Os Prémios Europeus de Promoção Empresarial (European Enterprise Promotion Awards – EEPA) são uma iniciativa da Comissão Europeia alinhada com as prioridades da estratégia Europa 2020, que tem como objetivo potenciar a divulgação de atividades reconhecidas como boas práticas no âmbito da promoção da iniciativa empresarial na Europa.

 

17/02/2018

Os Prémios Europeus de Promoção Empresarial pretendem contribuir para:

  • identificar e reconhecer atividades e iniciativas de sucesso que visem a promoção de empresas e do empreendedorismo;
  • divulgar e partilhar exemplos de melhores políticas e práticas de iniciativa empresarial;
  • sensibilizar para o papel desempenhado na sociedade pelos empresários e pelos empreendedores;
  • incentivar e inspirar potenciais empreendedores.

 

A competição decorre, numa primeira fase, a nível nacional, sendo selecionados dois projetos para representar o país na grande final europeia que todos os anos distingue as iniciativas que melhor representam a iniciativa empresarial e o empreendedorismo na Europa

Portugal encontra-se no conjunto dos paíse que detêm, até ao momento, mais galardões atribuídos pela Comissão Europeia, sinal do dinamismo e do investimento que o país, as regiões, e as cidades estão a fazer em prol do dsenvolvimento do ecossistema empreendedor nacional.

Ao longo destes 12 anos, foram vários os projetos portugueses premiados pela Comissão Europeia em diversas categorias, com visibilidade e impactos acrescidos para os respetivos projetos e promotores. São exemplo disso a "Empresa na Hora", o "Douro Boys", o projeto "Portuguese Shoes - The sexiest industry in Europe", o "Lisboa Empreende" e o conhecido "Estatuto PME Líder".

 

A fase nacional para submissão de candidaturas à 12ª edição dos Prémios Europeus de Promoção Empresarial decorre até ao dia 9 de abril de 2018.

 

Como concorrer (link is external)

Categorias a concurso (link is external)

Processo de seleção (link is external)

Edições anteriores (link is external)


Para mais informações contacte Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Uma Europa que cumpre as suas promessas: Comissão apresenta ideias para uma União Europeia mais eficiente

Conselho-Europeu-Conselho-da-Unio-Europeia

Uma Europa que cumpre as suas promessas: Comissão apresenta ideias para uma União Europeia mais eficiente

Na perspetiva da reunião informal dos dirigentes que terá lugar em 23 de fevereiro de 2018, a Comissão Europeia apresenta hoje algumas medidas concretas que poderão tornar a ação da União Europeia mais eficiente e melhorar a ligação entre os dirigentes das instituições da UE e os cidadãos europeus.

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, declarou hoje: «Com o Roteiro de Bratislava, a Declaração de Roma e, agora, a Agenda dos Dirigentes, a Europa tem-se concentrado, e bem, na criação de uma União que apresente resultados concretos e soluções tangíveis para as questões que interessam aos cidadãos. Devemos continuar nesta via. Sempre afirmei que a forma segue a função – este não é o momento para longos debates sobre a reforma das instituições ou a alteração dos Tratados. No entanto, podemos adotar uma série de medidas para realizarmos ainda mais eficientemente as nossas prioridades principais. Existem muitas opções, mas o objetivo deve manter-se o mesmo: criar uma Europa que cumpre as suas promessas.»

Candidatos cabeças de lista: partir da experiência dos candidatos principais (Spitzenkandidaten) de 2014

O processo eleitoral de 2014 reforçou a relação entre as três instituições da UE e tornou o seu trabalho mais eficiente. Ajudou-as a alinharem-se por um programa de trabalho comum para o mandato de cinco anos. Foi isto que permitiu à Comissão Juncker trabalhar de forma mais orientada para a política e concentrar-se naquilo em que a União obtém melhores resultados, deixando o resto para os Estados-Membros.

No seu discurso sobre o Estado da União de 2017, o Presidente Juncker afirmou que a experiência dos «candidatos cabeças de lista» de 2014 devia prosseguir. Hoje, a Comissão Europeia define modos possíveis de aperfeiçoar o processo com base nos atuais Tratados, respeitando ao mesmo tempo o equilíbrio entre instituições da UE e entre Estados-Membros. Para tal, apela aos partidos políticos para que façam uma escolha antecipada dos candidatos cabeças de lista, antes do final de 2018, e para que iniciem a campanha mais cedo. Deste modo, os eleitores teriam mais oportunidades para se identificarem com os candidatos e com os programas políticos que estes representam.

A Comissão recomenda igualmente que se torne mais visível a ligação entre os partidos nacionais e os partidos europeus. Os partidos políticos nacionais devem ser mais transparentes em relação aos partidos europeus em que estão filiados; por exemplo, utilizando os seus logótipos no material de campanha e nos boletins de voto. Devem também assumir uma posição clara sobre as questões europeias importantes e manifestar a sua intenção de participar nos grupos políticos do Parlamento Europeu e na escolha, por estes, do Presidente da Comissão Europeia.

Composição do Parlamento Europeu e da Comissão Europeia

Os dirigentes do Conselho Europeu têm de decidir – com base numa proposta do Parlamento Europeu – sobre a composição do Parlamento Europeu na legislatura de 2019-2024 e sobre o destino a dar aos lugares deixados vagos pelo Reino Unido. Uma das opções consiste em reservar alguns desses lugares para um círculo eleitoral transnacional. Apesar de, numa recente resolução (de 7 de fevereiro), ter votado no sentido de não apelar à criação de um círculo eleitoral transnacional, o Parlamento Europeu deixou a porta aberta para futuros debates. Recentemente também, vários Estados-Membros exprimiram o seu apoio a esta ideia, enquanto outros manifestaram a sua discordância. Um círculo eleitoral transnacional poderia reforçar a dimensão europeia das eleições, oferecendo aos candidatos a possibilidade de chegarem a um maior número de cidadãos em toda a Europa. Por outro lado, e em princípio, os deputados representam e comunicam estreitamente com os eleitores que os elegeram a nível local ou nacional, quer por motivos de responsabilização quer para poderem dar voz às preocupações dos seus eleitores. A Comissão é recetível à ideia das listas transnacionais, mas a sua concretização requer o acordo unânime do Conselho, bem como alterações à lei eleitoral nos 27 Estados-Membros no próximo ano, de modo a poderem ser aplicadas nas eleições de 2019.

Nos termos da Decisão do Conselho Europeu de 22 de maio de 2013, atualmente o Colégio de Comissários é composto por 28 membros, um de cada Estado-Membro. Antes de a próxima Comissão Europeia ser nomeada, os dirigentes terão de decidir se querem manter o princípio de um membro por Estado-Membro ou se pretendem diminuir o número de comissários. Teoricamente, um executivo de menor dimensão funcionaria de forma mais eficiente, seria mais fácil de gerir e permitiria uma distribuição mais equilibrada das pastas. No entanto, uma Comissão reduzida significaria também que alguns Estados-Membros não estariam representados ao nível político da instituição e perderiam a vantagem de manter um canal de comunicação política direto com os seus cidadãos e autoridades nacionais.

Um único Presidente para a Comissão e para o Conselho

No seu discurso sobre o Estado da União de 2017, o Presidente Juncker começou por sugerir a ideia de um Presidente com dois cargos. O facto de uma única pessoa exercer os dois cargos de Presidente do Conselho Europeu e de Presidente da Comissão Europeia poderia tornar a estrutura da União mais eficiente, e os atuais Tratados permitem-no. Uma dupla nomeação não acarretaria a fusão das duas instituições. O Presidente da Comissão Europeia é já membro do Conselho Europeu, e nenhum dos dois Presidentes vota no Conselho Europeu; a sua função consiste em aconselhar, trazer o contributo do trabalho dos seus serviços, ajudar a construir pontes e definir posições comuns.

Diálogos com os Cidadãos

A Comissão Europeia organiza regularmente Diálogos com os Cidadãos, em que participam membros da Comissão, do Parlamento Europeu, dos governos nacionais, das autoridades locais e regionais e representantes da sociedade civil. Desde 2012, realizaram-se cerca de 500 debates públicos interativos em 160 locais; a Comissão aumentará a sua frequência até às eleições europeias de maio de 2019, sendo o objetivo a organização de, aproximadamente, mais 500 eventos. A Comissão congratula-se igualmente com as iniciativas dos Estados-Membros de organizarem os seus próprios diálogos com os cidadãos sobre o futuro da Europa, e está pronta para oferecer o seu apoio no que estiver ao seu alcance; por exemplo, ligando esse processo à consulta em linha sobre o futuro da Europa, que poderá manter-se aberta até 9 de maio de 2019. A Comissão partilhará os benefícios da sua experiência com os Estados-Membros.

Contexto

As ideias e opções hoje apresentadas constituem um seguimento direto do Relatório da Comissão Europeia (de 8 de maio de 2015) sobre as eleições de 2014 para o Parlamento Europeu, no qual a Comissão se comprometeu a identificar formas de continuar a reforçar a dimensão europeia e a legitimidade democrática do processo de decisão da UE, bem como a analisar mais em profundidade (e tentar combater) os motivos da persistência da reduzida afluência às urnas em alguns Estados-Membros.

Para mais informações:

Comunicação: Uma Europa que cumpre as suas promessas: Opções institucionais para tornar o trabalho da UE mais eficiente

Recomendação sobre o reforço do caráter europeu e a condução eficiente das eleições de 2019 para o Parlamento Europeu

Relatório da Comissão Europeia sobre as eleições de 2014 para o Parlamento Europeu

Relatório de 2018 sobre as eleições europeias e municipais

Novas orientações da Comissão ajudam Estados-Membros a organizar concursos públicos mais sólidos para projetos financiados pela UE

dinheiro 2 - copy

A Comissão Europeia publicou hoje novas orientações para ajudar os funcionários das autoridades nacionais, regionais e locais que lidam com fundos da UE a garantir a eficácia e a transparência dos concursos públicos para projetos financiados pela União. As orientações, brevemente disponíveis em todas as línguas, abrangem o processo de A a Z, desde a preparação e publicação dos convites à apresentação de propostas, à seleção e avaliação das propostas e à execução do contrato. Por este motivo, as novas orientações podem também ser úteis fora do âmbito dos fundos da UE. Em cada etapa, as orientações incluem conselhos sobre como evitar erros e informações sobre boas práticas, ligações úteis e modelos. As orientações explicam igualmente a forma de tirar o melhor partido das oportunidades oferecidas pelas diretivas revistas relativas aos contratos públicos, de 2014, ou seja, menos burocracia e mais procedimentos online no sentido de facilitar a participação de pequenas empresas em concursos públicos e a possibilidade de introduzir novos critérios na decisão de adjudicação, por forma a selecionar empresas socialmente responsáveis e inovadoras e produtos respeitadores do ambiente. Os Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (FEEI) canalizam mais de 450 mil milhões de euros para a economia real da UE durante o período de financiamento 2014-2020, sendo metade desse montante investido através de contratos públicos. Os serviços da Comissão prepararam uma infografia sobre as novas orientações e estão disponíveis neste sítio Web mais informações sobre o trabalho da Comissão para auxiliar os Estados-Membros a melhorar a forma de gerir e investir os fundos da UE.

Dois projetos portugueses distinguidos pelo Conselho Europeu de Investigação

 782530

Foram anunciados os 52 vencedores de um concurso de subvenções para a inovação, onde se contam dois projetos portugueses.

As chamadas subvenções «validação do conceito» do Conselho Europeu de Investigação (CEI), no valor de 150 000 euros cada, destinam-se a investigadores que exploram o potencial inovador das suas descobertas científicas, o que os ajudará a trazer os resultados da sua investigação de fronteira mais próximos do mercado. Os vencedores anunciados hoje juntam-se, assim, aos 102 outros que já receberam subvenções em 2017. No total, 160 investigadores irão agora procurar oportunidades de negócio, estabelecer direitos de propriedade intelectual ou testar a viabilidade técnica para provar o seu conceito científico.

Em Portugal, foram distinguidos João Mano da Universidade de Aveiro com o projeto MicroBone, que desenvolve plataformas 3D com plasma rico em plaquetas com vista à criação de micro-tecidos ósseos para modelos de doenças in vitro e José Henrique Fernandes da Fundação D. Anna De Sommer Champalimaud e Dr. Carlos Montez Champalimaud, com o projeto NEURIMM que trata da ativação neuro-imune como nova abordagem terapêutica da IBD.

Os investigadores selecionados poderão, por exemplo, desenvolver novos antibióticos dirigidos a bactérias resistentes aos medicamentos, produzir grafeno para proteger as obras de arte ou fazer tintas termorreguladoras suscetíveis de reduzir o consumo de energia dos edifícios. O orçamento global do concurso era de 24 milhões de euros. Em outubro do ano passado, a Comissão orientou o financiamento da investigação e inovação no sentido de estimular a inovação de vanguarda geradora de mercados.

A Europa já é líder mundial no domínio da ciência e da tecnologia e para a tornar também um importante motor de inovação, a Comissão lançou a primeira fase do Conselho Europeu de Inovação para apoiar investigadores de topo, empreendedores, pequenas empresas e investigadores com ideias brilhantes. O Conselho mobilizará 2,7 mil milhões de euros destinados a apoiar a inovação de alto risco/ganhos elevados. As subvenções «validação do conceito», anunciadas hoje, são concedidas pelo Conselho Europeu de Investigação e fazem parte do programa de investigação e inovação Horizonte 2020.

Mais informações:

Dois projetos portugueses distinguidos pelo Conselho Europeu de Investigação

Foram hoje anunciados os 52 vencedores de um concurso de subvenções para a inovação, onde se contam dois projetos portugueses.

As chamadas subvenções «validação do conceito» do Conselho Europeu de Investigação (CEI), no valor de 150 000 euros cada, destinam-se a investigadores que exploram o potencial inovador das suas descobertas científicas, o que os ajudará a trazer os resultados da sua investigação de fronteira mais próximos do mercado. Os vencedores anunciados hoje juntam-se, assim, aos 102 outros que já receberam subvenções em 2017. No total, 160 investigadores irão agora procurar oportunidades de negócio, estabelecer direitos de propriedade intelectual ou testar a viabilidade técnica para provar o seu conceito científico.

Em Portugal, foram distinguidos João Mano da Universidade de Aveiro com o projeto MicroBone, que desenvolve plataformas 3D com plasma rico em plaquetas com vista à criação de micro-tecidos ósseos para modelos de doenças in vitro e José Henrique Fernandes da Fundação D. Anna De Sommer Champalimaud e Dr. Carlos Montez Champalimaud, com o projeto NEURIMM que trata da ativação neuro-imune como nova abordagem terapêutica da IBD.

Os investigadores selecionados poderão, por exemplo, desenvolver novos antibióticos dirigidos a bactérias resistentes aos medicamentos, produzir grafeno para proteger as obras de arte ou fazer tintas termorreguladoras suscetíveis de reduzir o consumo de energia dos edifícios. O orçamento global do concurso era de 24 milhões de euros. Em outubro do ano passado, a Comissão orientou o financiamento da investigação e inovação no sentido de estimular a inovação de vanguarda geradora de mercados.

A Europa já é líder mundial no domínio da ciência e da tecnologia e para a tornar também um importante motor de inovação, a Comissão lançou a primeira fase do Conselho Europeu de Inovação para apoiar investigadores de topo, empreendedores, pequenas empresas e investigadores com ideias brilhantes. O Conselho mobilizará 2,7 mil milhões de euros destinados a apoiar a inovação de alto risco/ganhos elevados. As subvenções «validação do conceito», anunciadas hoje, são concedidas pelo Conselho Europeu de Investigação e fazem parte do programa de investigação e inovação Horizonte 2020.

Mais informações:

A Europa Vai À Escola

Inscreva-se aqui

_europa_va_20192020.jpg

 


 

Ursula von der Leyden

Presidente Eleita da Comissão Europeia

O meu programa para a Europa

 66881562_10157231337404280_1585032619454627840_n.jpg  


 bola.png

  


  HORÁRIO

Segunda a Sexta
9h00 - 12h30

  13h30 - 18h00 


CONTACTOS

Av. Dr. Nicolau Carneiro, 196

4590-512 Paços de Ferreira

T. +351 255 147 314

     +351 916 096 155 

Email: europedirect[a]profisousa.pt

Facebook

Instagram 

Twitter


 

Se já contactou um Centro Europe Direct, p.f. avalie aqui  a sua atuação.